Thrash com H

É PARA RIR MESMO

terça-feira, 4 outubro, 2011 por Txuca

O texto abaixo foi cortesia do amigo Banderas, q o escreveu semana passada, obviamente referindo à sua estada no dia do metal no Rock In Rio. Achei desperdício lançar nalgum ‘so let it be written’, por isso o ctrl c + ctrl v.

Por outro lado, o quente é comentarmos esse último fim de semana do festival. Lá no ‘so let it be written’ da vez, belê?

.

Rock in Rio (Cidade do Rock, Rio de Janeiro, 26/09/11)

Cheguei na Cidade do Rock por volta das 17h e infelizmente perdi a apresentação do Korzus + The Punk Metal Allstars. Estava em andamento o Franga + ex-vocalista do Nerdwish; como eu não tinha qualquer vontade de “apoiar” o metal nacional, decidi acabar com os enormes ruídos oriundos do meu estômago e fui enfrentar uma fila bem comprida para conseguir comida.

Cheguei a frente do Palco principal bem na hora da banda Glória. Tudo o que eu posso recordar sobre esse momento é a canção cantada em coro pelo público no final do show, que tinha um letra muito bacana: “Glória! Glória! Aleluia (3x) / Que bom que acabou…”.

Depois de alguma espera, começa a tocar o Coheed and Cambria, nunca tinha ouvido falar nessa banda, acho que a maioria lá também não, pois notei o público agitando somente em “The Trooper”, cover do Iron Maiden. O som da banda é legal, é bem técnico e bem tocado; não me fez levantar do chão, mas comparado a banda anterior, está muito bom.

+++

Bom mesmo foi o que veio depois. O Motorhead entrou no palco. “Glória a Lemmy, Senhor!” “Ele está no meio de nós!” Com 65 anos e diabetes, sua performance ainda está matadora. Destaque também para o Mikkey Dee, que segundo as palavras do “The Old Man”: é o melhor baterista do mundo. Fizeram um show parecido com o de Abril último, mas, já se tratando de um festival, tocaram um set reduzido, tivemos: “Metropolis”, “Over the Top”, “The Chase is Better than the Catch”, “Going to Brazil” e “Killed By Death”.

imago-motorheadbatera1

De praxe, a maior parte do público conhecia só “Ace of Spades” e eu fiquei agitando sozinho que nem um maluco! No final, o Andreas Kisser subiu ao palco para tocar “Overkill”. Eu não sei quanto a vocês, mas acho que o “Beijador” tem ciência que o Sepultura não está nada bem, por isso ele anda tentando entrar em alguma banda gringa antes que o Sepultura acabe, quer garantir o leite das crianças.

+++

A próxima banda foi o Slipknot. Pensei comigo mesmo: “vamos lá cara, a sua fase ‘quero ser tr00‘ já passou faz tempo, assista o show sem preconceito, vai ter vários efeitos visuais legais”. Com o infortúnio do destino eu não conseguir assistir direito, porque apareceu um monte de playboy socando o vento, como se estivessem procurando o homem invisível – sabe aquele que ficava injuriando o Seu Barriga na aquele episódio do “Chaves”? – Tive que usar a sola do meu pé várias vezes, para afasta-los de mim e me proteger.

Acho que o Slipknot não tocou nenhuma música que eu conhecia. “Left Behind”, que é a musica que eu gosto não foi tocada, mas eu achei legal a ideia da banda ter animadores de palco, bem, porque os tocadores de tambor só fizeram isso, animaram o público, ao menos eu não lembro de ver eles tocando.

slipknot_n

O ponto mais legal do show foi quando o vocalista pediu para todo mundo se abaixar. Um mar de gente sentou no chão e eu fiquei de pé, claro, assim obtive uma visão privilegiada do público e pude observar quanta gente tinha nesse festival, era gente pra c@r*lhø.

+++

Do Metallica eu nem tenho o que falar, o show foi perfeito, um dos mais legais que eu já na vida. Já na intro “The Ectasy of Gold”, fui as lágrimas… Nos primeiros acordes de “Creeping Death”, acabei sendo empurrado por uma multidão sedenta por metal e cheguei a uma boa proximidade do palco, fiquei próximo o suficiente para sentir calor quando disparavam os lança-chamas instalados nas laterais. Tocaram “For Whom the Bell Tolls”, que eu sempre sonhei em ouvir ao vivo.

Eu não costumo ir em show para ficar “fiscalizando” o som de banda, eu faço questão de me divertir, não fico procurado erros da banda nem da aparelhagem, mas se você viu o show pelo youtube ou pela TV, saiba que o som ao vivo estava muito melhor.

Outros clássicos tocados: “Ride the Lightning” (torcicolo!!), “Sad but True”, “One”, “Master of Puppets” (na íntegra) “Blackened”. Que pena que eles não tocaram “The Call of Ktulu”, que é a melhor música instrumental da história do metal, mas tocaram “Orion” e eu não tenho o que reclamar.

Como é a tradição do Metallica tocar um cover, eu esperava que o Lemmy subisse ao palco e junto ao Metallica tocassem “Damage Case”. Seria fudido! Seria, mas eles tocaram “Am I Evil”, do Diamond Head. Essa música merece um comentário à parte: acho que sou o único ser da minha geração que conheceu primeiro a versão do Diamond Head e depois a do Metallica. Tocaram “Whiplash” e eu pude participar de um circle pit – é, circle pit, não pancadaria – tímido, mas divertido, para encerrar: “Searchiiiing… Seek and Destroy!”

Depois disso, foi chegar em São Paulo as 11h, no trabalho as 15h, em casa as 21h e enfim descansar. Feliz da vida!

20 respostas

  1. Marco Txuca

    Lançando algumas idéias pra debate e rebates:

    STEVE WONDER: alguém viu?

    *

    SHAKIRA: vi um tanto. Chama atenção o português quase fluente, muito melhor q o do Derrick (se bem q qualquer criança de 2 anos fala português melhor q aquele negão), assim como nos agudos meio incômodos: parecendo uma Sinead O’Connor com batata quente na boca

    *

    KE$HA: ex-backing vocal de Britney Spears ñ é currículo. É pra se matar. Tomou a decisão errada: veio entreter uns trouxas metidos a descolados. Vergonha alheia demais

    *

    LENNY KRAVITZ: se acha demais. Foi embora em limusine, com toalhas na cabeça (nem sabe q se viesse tiro, elas provavelmente ñ seriam à prova de bala!). Ter sido equivocadamente escalado pro sábado ñ é desculpa pra cuzice. Set com os hits obrigatórios, bem executados. Puta banda.

    *

    COLDPLAY: bando de pedreiros. Mal sabem segurar os instrumentos. Treino bateria há anos pra ver aquele idiota segurando baqueta pelo meio e tocando q nem criança especial??

    Se tirar o áudio, fica parecendo – no visú e na execução – alguma banda stoner ruim. Caras com o mesmo senso composicional do Queens Of the Stone Age: encontram um acorde legal, ou uma melodia de 3 notas, ficam repetindo-o (a) até o fim. Pff!…

    Fora o Metallica e o Guns, foram a banda com mais “jogo ganho” quando entraram. Saudades do Toto e do Asia.

    *

    ZECA BALEIRO: vi e curti. Ñ curto tudo do cara, mas “Toca Raul” e “Heavy Metal do Senhor” teriam valido o ingresso. Puta banda tb.

    *

    TITÃS e XUTOS E PONTAPÉS: deveriam tocar sempre daquele jeito, com 3 (ou 4?) guitarras no palco. Só assim pra ganharem o peso devido e esconderem aquele Tony Bellotto, o pior guitarrista do mundo!

    O guitarra português q fumava, só num som ali tocou mais q o Bellotto na carreira inteira! Cortaram a transmissão pra passar a Amy Lixo, bah!

    *

    PITTY: o protótipo da artista/banda bunda mole. Se contentam em fazer os hitzinhos e lançar esparsamente discos. Entrevista no backstage falando em “projeto paralelo”. De q carreira? Som de bateria animal, como do da banda do Zeca Baleiro.

    *

    EVANESCÊNCIA: juro q tentei ver. Bandinha armada na cara dura. Apresentou os músicos? Aposto q ñ sabia os nomes. Duro de engolir tb a papagaiada das apresentadoras, falando em “influências de música clássica”, essas merdas.

    Ñ é nem a frieira da micose no mindinho da Otarja. Cantora medíocre de “American Idol”, irritante. Foi quando aproveitei pra ligar o videocassete pra gravar o System Of A Down.

    *

    SYSTEM OF A DOWN: curti o show, mas achei q o Serjão estava em outra dimensão, ali só pra bater cartão.

    Cantou q nem um merda tb. Ou a voz dele ao vivo é q nunca funcionou. O guitarra Malaquias segurou a bronca sozinho; quando entravam seus backings, melhorava muito.

    Concordo com a opinião do Tiago, de terem virado “baile da saudade”. Reflexo de tanta banda MERDA surgida (e ñ ocupando lugar) após eles, e de acomodação dos caras. Esperava q surtassem, ñ o fizeram.

    Som da bateria, pode ser culpa da tv, ou do som, estava menos audível q o dos bateristas do Zeca Baleiro e da Pitty. Culpa tb do Dolmayan, q toca q nem uma moça, quase ñ honrando a Tama q tem.

    Muita música do “Mesmerize”/”Hipnotize”, pena. Mas “Chop Suey!” e “Innervision” valeram.

    *

    GUNS N’COVERS: dominado pelo sono, dormi durante. Alternando sono e vigília, percebia “Sweet Child O’Mine”, “Estranged”, “Rocket Queen”… Ñ achei set list na internet ainda pra saber quantas perdi. Acordei e perseverei a partir do Bob Dylan (na PIOR versão de “Bate Bate Bate Na Porta Do Céu” q já vi).

    Muito pra se falar desse show q muito boteco recusaria. Um post whipláshico achei formidável, com o cara escrevendo TUDO O Q EU GOSTARIA DE TER ESCRITO

    http://whiplash.net/materias/opinioes/139393-gunsnroses.html

    Apenas acrescentaria “psicótico”, na descrição de mundo próprio, drogado e repleto de puxa-sacos de Axl, e achei lapidar a menção ao público, formado de muita gente q se iniciou no rock com o GNR, e CONTINUOU CONHECENDO SÓ O GNR.

    E fiquei pensando o quão maiores são ainda q o Iron Maiden. Pois enquanto os ingleses têm 1 Janick Gers, Axl recrutou TRÊS!!

    (q ñ deram MEIO Slash)

  2. märZ

    Não vi NADA.

  3. guilherme

    Vi alguns shows espalhados e nem sei direito os dias:

    Stevie Wonder: foi bem bacana, o cara ignorou o setlist montado, improvisou a valer e mandou um combo Visions e Living for the City que foi um absurdo. O momento com Garota de Ipanema e Você Abusou foi bonito. Um dos melhores shows do festival. E que banda foda.

    Janelle Monáe: Foda, sabe comandar um palco e canta bem. Um dos shows que mais queria ver.

    Joss Stone: Muito bom também, o público pediu algumas músicas e ela nem piscou, mandou na lata. Devia ter ido pro palco principal e mandado a Ke$ha, para esse menor (ou pra puta que pariu).

    Shakira: Vi algumas músicas só, já tava tarde. Muita coisa em espanhol, legal isso.

    Ke$ha: Caralho, de longe O PIOR SHOW DO FESTIVAL. E eu já esperava isso. Conheço só algumas músicas (e bem, ela só tem um álbum mesmo) e acho Tik Tok uma música bem foda, mas não dá. É ruim demais ao vivo. Da próxima, chamem a Lady Gaga.

    Maroon 5: Gostei também, mas não vi tudo. Adam Levine tenta copiar o Jagger demais, às vezes enche o saco. E não teve cover, aleluia.

    Coldplay: Achei um dos melhores do festival. Melhoraram muito ao vivo. O outro show deles, acho que foi na turnê do Viva la Vida (que é muito bom) foi sonoleeeento. Faltaram algumas músicas e mandaram várias do novo. Lovers in Japan teria sido foda, mas fazer o quê.

    System of a Down: Achei bacana, mas esperava mais (talvez injusta a crítica, mas fã é foda), acho que ainda precisam fazer mais shows para as coisas se encaixarem. Parecia que estavam só batendo cartão. O som pelo stream tava muito ruim, a bateria tava baixa, o baixo inaudível e a guitarra estourando.

    Guns N’ Roses: Decepcionante. Acho que é isso.

    Achei que tinham muitos dias, talvez só 3 ou 4 no máximo seria melhor. No geral, meu humilde ranking de shows ficou:
    1 – Slipknot
    2 – Metallica
    3 – Stevie Wonder
    4 – Coldplay
    5 – Joss Stone

  4. Rodrigo Gomes

    Steve Wonder: não vi e nem ele viu (piadinha infame, batida mas obrigatória).

    Sobre o Beijador, continuo discordando. Se ele quisesse só uma boquinha em uma banda gringa pra ganhar o leite das crianças, seria muito fácil, era só reunir o Sepultura e faturar milhões (o Max vive mendigando uma reunião e propostas não devem faltar).

    Não consegui ver o Guns N´ Roses, só as primeiras músicas. Tenho que ver depois, a exemplo do Metallica.

    SOAD é uma bosta, igual o RATM. Não gosto de bandas vermelhas, em regra.

    De resto, vi pouca coisa do RIR. Vou pegar as reprises que o Multishow está passando.

  5. Louie Cyfer

    O Stevie com certeza deve ter sido um dos grandes shows do festival… o cara é um músico monstruoso e a banda tem de ser idem. Mas infelizmente ainda não vi… mas vou fazr assim q tiver um tempinho. E quero ver o Jamiroquai tmb, pois gosto muito do som deles.

    Já no sábado, estava no butequim qdo vi pela tv algumas coisas do Maroon 5 e apesar de não dispor de um áudio decente (conversaiada de buteco é foda) gostei da performance e achei q eles deviam estar tocando algumas musicas de metal pela agitação em algumas horas…hehehe.

    “Cúdeplay” eu achei mediano e só gosto de poucas músicas do incio de carreira dos caras…definitivamente não sou um cara pra falar deles.

    Já o System foi o seguinte… primeiro o susto!! “Q q o Marcos Pasquim tá fazendo no SOAD??” – pensei.

    O Serj realmente parecia deslocado, com performance pífia de funcionário pagando aviso prévio. Mas até q achei q ele mandou bem no vocal. Tem músicas com umas notas bem altas (tipo fim da Chop Suey) e o cara fez sem cara feia.

    Agora, logicamente a máquina por tras de tudo é o Daron. O cara é foda, até tá tocando melhor (era bem tosquinho) e o vocal melhorando a cada dia. A grande sacada é q ele cresceu muito como músico capitaneando o projeto Scars on Broadway (q por sinal é fodasso – recomendadíssimo pra quem gosta de SOAD) e se sente muito confortável no palco.

    Já não corroboramos a mesma opinião sobre o batera, pois acho o cara muito bom e “tecnicamente” falando o melhor da banda.

    E… Guns QUEM???????????

  6. Marco Txuca

    Rodrigo antecipou o arremata da piada q eu faria…

    “Bandas vermelhas” q vc ñ gosta. SOAD é vermelho?? Achei q fossem armênios, ñ índios…

    ***

    Louie: acho o Dolmayan um puta baterista. Técnico e tal. Mas a pegada do sujeito é muito “moça” – ele ñ SENTA A MÃO.

    O cara do Cúdeplay marreta a bateria bem mais q ele, por exemplo. E aí, o problema passou a ser q a bateria no SOAD ficou pouco audível…

    ***

    Vc citaram outros q esqueci de citar:

    MAROON 5: deixei ligada a tv, enquanto lia alguma coisa, sei lá. Algumas músicas são “versão baby” de sons do Chili Peppers, hum? Vocal achei bão.

    MUTANTES: melancólico. O mesmo do GNR: banda tornada banda cover descaracterizada de si mesmos. 2/5 da formação original ali presente, dá pra chamar de Mutantes? Pff!… Escalados tvz pra agradar gringo deslumbrado.

    Fora q o Sérgio Dias, inacreditavelmente balofo e leso, se pegar um pouco de sol e fizer uns tererês no cabelo, será confundido com Milton Nascimento na rua!

  7. Louie Cyfer

    Putz… fala do mal do Mutantes não… hehehe…. acho simplesmente maravilhoso. E como via até tempos atrás uma coisa utópica um show deles, eu virei muleque no SWU ano passado qdo presenciei os mesmos.

    Vamo dar um desconto… os 2/5 sobreviventes são o tipo de caras q só de estarem vivos já merecem respeito… e ainda lançaram um disco bacana (apesar de quase releitura de seus próprios clássicos anteriores) de inéditas.

    Não dá mais pra contar com Arnaldo (leso total), Rita (saco cheio dessas coisas) e o Liminha (q nao larga o osso de produzir albuns). Como Sérgio ainda é um dos maiores guitarras brazucas de todos os tempos, nada mais óbvio q ele continue tocar e compor.

    To dizendo isso de coração e pelo SWU, pq a apresentação do RIR eu ainda nao vi… hehehe.

  8. Banderas

    Eu também não gosto de System of a Down, mas, que caralho é uma banda vermelha?
    Seria uma banda que toca num estilo contrario ao ‘Blues’?

    [Tum-dum, tss…]

    Eu vi o Axl Rose pela tv e foi ruim pra cacete.

  9. Rodrigo Gomes

    hahahaha, banda vermelha igual o Padre Albano era um padre vermelho. No sentido de ser metido a ir contra o sistema, ou seja, no linguajar popular, ser “comunista”.

  10. Tiago Rolim

    Stevie Woonder fez um dos melhores shows do festival. Simples assim. Um mestre sabe o que faz, regeu aplatéia e quando percebeuq ue o show tava ruim tratou de mandar uns clássicos e salvou a noite( e o festival) da mesmice progamática. E só uma pedra com coração de Metal não se emocionou com Garota de Ipanema…
    Joss Stone(d) entra no rol de burradas do RIR, pois deixar esta mulher no palco secundário e aquela puta de Keisha no principal e coisa de imbecil.
    A nega com cabelo de ferro de passar roupa vi pouco, mas gsotei do que vi.
    Lenny Kravitz talvez tenha sido a maior broxada do festival pra mim. Curto o som do cara e o novo dsico dele ta muito bom, e ele me faz aquele show xoxo sem alma e sem graça.
    Do sábado os melhores foram Frejat e seu baile de feira agropécuaria e Skank, boa banda e que sabe se comportar em um palco.
    O System Of A Down ta nessa de baile da saudade e como toda banda que vive disso se comporta mal em palco. Afinal o tesão acabou há uns 6 anos né não? Ficou só a obrigação, mas vale a resalva que o guitarrista mandou bem demais! E o repertório é ótimo. O Mesmerize/Hipnotize são os discos da década de 00 pra mim.
    E quanto a Axl e sua banda, só uma frase que li por ai:
    “A banda cover do Guns é boa, só precisa trocar o vocal”
    Vergonha alheia total. E não que isso seja atenuante pra mediocridade de Axl, mas o fato tar chovendo p carai só deixou tudo mais melancólico…

  11. doggma

    O mais espantoso é que o setlist original do Axl era uma odisseia de 39 movimentos. Corajoso o cabra. E completamente sem noção. Conclusão… o mundo da música é uma caixinha de surpresas, mas acho que só um milagre salvará a carreira dele da ladeira abaixo.

    Stevie eu vi só duas músicas, uma delas a maravilhosa “Higher Ground” (em dose dupla nesse RIR, bacanaço isso). A voz do negão continua poderosa, impressionante. Mas li por aí muita gente reclamando das improvisações que estendiam muito as músicas.

    Lenny Kravitz já me decepcionou há muitos anos atrás, com aquele DVD “Live” (show com voz mixada lá na frente e que não se ouve 1 pio advindo do público, mas o pior foram as cenas de bastidores). Nessa de “mr. cool”, ele respinga frieza e arrogância pra todo lado. Mas o puto é talentoso.

    Mutantes não vi, mas já que estava descaracterizado mesmo… pô, falta a Rita, né. Sem a Rita não dá. Podiam ter escalado no lugar os Novos Baianos, que se reuniriam todos sem problemas e mandariam benzaço como naquela reunião duns anos atrás.

    Joss Stone é sensacional, talentosa, simpática, comunicativa, inteligente, incrivelmente linda… o que mais…? haha

    Ah, e mencioram aqui o Queens of the Stone Age, a Joss Stone… faltou mais um “Stone”, o Sour. Achei o frontman aguerrido, a guitarra mandando algumas bases ganchudas, mas o som é meio-termo demais, sem saber se corre pro mosh ou pra FM. Faltou descer aquela porrada.

  12. Marco Txuca

    Vou na do guilherme e ranquear. Melhores shows, pra mim:

    1. Metallica
    2. Red Hot Chili Peppers
    3. Slipknot
    4. System Of A Down
    5. Motörhead

    E uma estranheza: achei q teria monte de marmanjo salivante pela Shakira ou pela Joss Stone (doggmático o foi, pela segunda, acima, mas tipo coroinha eheh), coisa e tal. Mas tudo bem.

  13. Tiago Rolim

    Melhores shows:
    1.Metallica
    2.Stevie Wonder
    3.Red Hot Chilli Peppers
    4.Slipknot
    5.Joss Stone
    6.Sepultura e os franceses
    7.Zeca Baleiro
    8.Motorhead(mas pela presença mitica do que pelo show propriamente dito)
    9.System Of A Down
    10.Skank

  14. Marco Txuca

    Vi reprise do Axl’n’Roses no Multishow há pouco, e:

    * ñ pareceu tão ruim quanto no dia. Derrapadas guitarrísticas (sobretudo do guitarrista lenhador) foram muitas, mas do Axl, q ñ esperava grande coisa, ao menos boa parte das letras estavam DECORADAS

    * Axl conseguiu errar o assobio-introdução em “Patience”…

    +++

    Outra coisa q vim reparando: q o Rock In Rio teve um cast bem meia-boca, todos concordamos. Mesmo entre as bandas principais. Senão, vejamos:

    1) GNR, Slipknot, System Of A Down e Evaneshit são praticamente ex-bandas em atividade. Q outro festival nalguma outra parte do mundo escalaria essa gente como atração principal?

    2) Metallica e Chili Peppers vieram na entressafra; os primeiros, prestes a lançar nojo auditivo com Loulou Reed, os segundos, fazendo dos primeiros shows em muitos anos, fora ensaiando turnê de disco novo

    3) Stone Sour veio pq o vocal veio tb no Slipknot. Duas bandas pelo preço de uma. E acho bem provável q empresário do Coheed And Cambria fosse o de alguma outra banda grande tb

    4) Concordo q Lady Gaga tvz fosse atração mais bombástica q a tal Ke$ha, mas ñ sei se Joss Stone no palco principal vingaria

    5) e lanço cá uma sub-enquete: q bandas faltaram na bagaça?

    Me ocorreram, por ora, Foo Fighters (q tvz ñ quisessem repetir), Faith No More (mas aí o Patton ñ viria com o Mondo Cane), o tal do Muse (tvz no lugar da Amy Lixo) e até bandas do já finado metalcore, tipo Hatebreed.

    No âmbito nacional, ñ acho q tenha faltado ninguém. Gente mais entusiasmada vi falando do Krisiun, mas nem a pau q esses caras tocariam em festival desse porte. E ñ por demérito dos caras.

    *****

    Rodrigo: vá dormir cedo em vez de ver reprise de “Roque Santero”!!!

  15. guilherme

    Falando só de rock/metal, eu queria ver Mastodon, Rammstein, Foo Fighters (Porque não? eles vieram só uma vez e há 10 anos atrás), Arcade Fire, Radiohead pra encabeçar algum dia e algumas bandas novas com “hype” para palcos menores tipo The Black Keys, Mumford & Sons e MGMT.

  16. FC

    Não tenho muito a acrescentar ao que os senhores brilhantemente já escreveram. Vou me limitar apenas a ranquear as atrações que eu vi. Curiosamente não assisti a nenhum headliner ao vivo e na segunda semana só lembrei no sexta que ainda tinha mais festival.

    Vamos lá:

    1 – Elton John
    2 – Slipknot
    3 – Motorhead
    4 – Stone Sour
    5 – Sepultura
    6 – Angra (a tosquice foi muito divertida)
    7 – Capital Inicial (idem)

  17. Louie Cyfer

    Ontem tmb tive o desprazer de ver um pouco da reprise do show do GN’R no multishow… simplesmente patético!!

    Tmb vcs queriam o q de uma banda que tem o Synyster Gates (Avenged Sevenfold) na guitar solo, o Marcelo Camelo (guitar base) e o Ed Motta na bateria???????????

    E ainda com um crooner de quinta imitando o Axl…. não dá!!!!!!!!!

  18. Tiago Rolim

    O pior no caso do Guns é que deu p perceber que algumas músicas do Chinese Democracy (que não é um disco ruim no fim das contas), foram bem aceitas pelos fãs notadamente Better, a faixa titulo e Street Of Dreams. O que nos leva de novo a Axl. Se o cara tivesse o minino de bom senso e inteligênçia estaria por cima da carne seca faz tempo, pois a banda é boa, tem boas músicas, ou seja tinha tudo para detonar e ainda dizer: “ta vendo, tava certo”, mas ele é louco e acha que se arrastando pelo palco com má vontde e sem ensaiar com a banda vai longe( e convenhamos, esta indo mais longe do que a lógica pode supor) ela vai assim mesmo.
    Uma pena, pois o cara tinha tudo pra ser um dos grandes do Rock, mas perdeu pro cérebro a batalha.

  19. Marco Txuca

    Eu só discordo numa coisa aí, Tiago: ñ perdeu pro “cérebro”. Perdeu pro UMBIGO!

  20. märZ

    UMBIGO = PANÇA.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.