Thrash com H

MYSTIC RHYTHMS

sexta-feira, 31 janeiro, 2020 por Txuca

20 anos depois… o q ficou?

6 respostas

  1. Rodrigo

    Eu não consigo descrever em palavras a beleza desse disco.

  2. Marco Txuca

    Eita.

    Pra mim, o disco mais homogêneo da banda. De cabo a rabo, mesmo a música chupim da “Mother Russia” do Maiden, faz sentido.

    Embora eu prefira o anterior, “Vovin” (se bem q a coletânea “Crowning Of Atlantis” veio antes), q tem músicas melhores mais fortes. Embora a maioria dos fãs prefira o seguinte, “Secret Of the Runes”.

    Todo modo, tvz concordemos q aqui era o Therion no auge, hum?

  3. Rodrigo

    Sim, Therion no auge compreende o período entre 1996 até 2004.

  4. Marco Txuca

    De “Theli” a “Lemuria” e “Sirius B”, hum? Concordo.

    Mas jogo fora o dvd “Live Gothic”, soberbo.

  5. Jessiê

    Certo e pra quem nunca funfo como eu? Vale a pena? É troço sinfônico?

  6. Marco Txuca

    É sinfônico, mas tvz seja a banda q melhor aliou o sinfônico ao metal. Ñ é um sinfônico farofa, ostentação, metido a Malmsteen. As guitarras, o instrumental carrega um pouco uma pegada sinfônica, q fica mais a cargo dos vocais (coros) e duns sons incidentais (q ao vivo ficavam como backing tracks).

    Te diria q “Deggial” é um disco interessante pra vc começar na banda e ver se te interessa. “Seventh Secrets Of Spynx”, “Flesh Of the Gods” (com o vocal do Blind Guardian cantando) e a faixa-título dão prum começo.

    Se curtir, parta prum anterior, “Vovin”.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.