Thrash com H

20 ANOS DEPOIS…

sexta-feira, 17 agosto, 2012 por Txuca

O q ficou?

6 respostas

  1. Colli

    Eu não lembro de nenhuma música esse disco… Seguindo a lógica, não ficou nada.

    ifícil falar isso e uma banda que curto muito, mas teve seus momentos de baixa entre Plaeasure To The Flesh e o Force Of Habit.

  2. Marco Txuca

    Vc ñ lembra desta aqui?

    http://www.youtube.com/watch?v=yYRhM5k7Ffg

    Ou desta?

    http://www.youtube.com/watch?v=IO5ny-rmf-Y&feature=related

  3. cassio

    para mim, é o 2º mais fraco deles, ficando atrás do Impact is imminent. tem umas músicas legais; no geral, digo q este é do tipo “se vc não conhece, não tá perdendo nada.” é mais um daquela fase no início dos 90´s quando as grandes bandas começaram a mandar o thrash pra UTI.

  4. doggma

    Uma das primeiras vítimas do “efeito Black Album”. A cover dos Stones até seria boa candidata a hit, fosse outra banda. Pô, metais no Exodus não dá…

    Apesar de algumas boas faixas (a progressiva “Architect of Pain” é minha favorita), também acho que não ficou nada para a posteridade. Mesmo assim é melhor que o “The Ritual”.

  5. Marco Txuca

    Concordando, doggmático: “Pô, metais no Exodus não dá…” [2]. Mas ainda mais desnecessária achei a versão de Elvis Costello.

    Este é um álbum, sim de “efeito Black Album”, e tvz dos q mais sofreram desse “efeito”, o mais descaradamente feito pra estourar. Lembro de Gary Holt comemorar q chegou a passar, nalguma parada, o “Countdown to Extinction”, outro disco dessa leva.

    “Architect Of Pain”, sim, tb acho legal. Como a faixa-bônus (à época), “Feeding Time At the Zoo”, q ñ deve em nada a nenhum som de nenhuma época dos caras.

    http://www.youtube.com/watch?v=vna6lh8AcsU

    Por sinal, há link do álbum inteiro no You Tube, pra quem tiver preguiça de baixar.

    Tb vou na do amigo cássio, de ser o 2º mais fraco deles (“Impact Is Imminent” é o mais pesado deles, e teve saturação guitarrística roubada e indevidamente apropriada por Dimebag Darrell, mas ñ é inspirado), mas acho tb q é álbum q se for reconsiderado hj em dia, vai soar muito melhor q à época…

    E uma boa idéia de lista pra próxima segunda, amigo. Agüarde!

  6. Marco Txuca

    Peguei pra reouvir. E tem sido experiência até agradável. Assim:

    * “Me, Myself & I”, “When It Rains It Pours” e “Feeding Time At the Zoo” (minha preferida), poderiam constar do set list atual. Apenas elas, as melhores

    * “Fuel For the Fire” inicia promissora, assemelhando-se às 3 citadas anteriores. Mas parece se perder ao longo. O backing vocal incomum ñ ajuda. Pouco inspirada, como “One Foot In the Grave”, q ia até esquecendo de citar

    * “Climb Before the Fall” caberia no “Tempo Of the Damned”

    * a faixa-título e “Architect Of Pain” (apesar de bons momentos) ñ chegam muito a lugar algum. Demasiado prolixas

    * “Count Your Blessings” soou muito melhor reouvida. Tvz o único som, fora os singles diluídos, a atingir o objetivo, até louvável, de partir pra outros rumos sonoros

    * as covers, realmente desnecessárias. Mas “Bitch”, de tão surreal, fica engraçada. Fosse algum lado b relegado na história, seria algo cultuado atualmente, em tempos de You Tube

    * “Thorn In My Side” e “A Good Day to Die” são realmente as mais acessíveis, ñ entrariam em nenhum outro álbum. E a segunda, me ocorreu q se regravada com Chuck Billy no vocal, ficaria do caralho

    Alguém mais opina? Louie? Jessiê?

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.