Thrash com H

PLURAL

quinta-feira, 4 agosto, 2022 por Txuca

Alguém: tô precisando duma vocalista pra uma banda de metal sinfônico. Mas a real é q precisava de duas, pq o baixista manda até bem no agudo, mas ñ é um backing vocal q a gente quer.

Eu:

Acho q ñ postei a moça aqui ainda.

Anna-Maria Hefele, alemã, faz vocal E backing vocal. Overtone singing, algo parecido com os troat-singers da Mongólia q cantam meio arrotando. Algo ao mesmo tempo interessante e bizarro.

Tem monte de vídeo dela no YouTube em concertos, fazendo peças de teatro e óperas (plural do plural de opus?), careca e etc. Escolhi esse preto e branco pq soa e parece ainda mais sinistro.

Eu encaixaria a moça fácil em bandas como Voïvod, Meshuggah, Amorphis ou King Crimson, sei lá. Fazendo “participação especial”. Tvz até ficasse ruim, ñ sei.

Só queria compartilhar o fascínio + incômodo sentidos ahahah

6 respostas

  1. Thiago

    Lembro de ler, muito anos atrás, que Glen Benton alterava rasgados e guturais com tanta naturalidade que as bandas que usavam dois vocalistas para o mesmo fim deveriam sentir vergonha. Esse cidadã é versão full-power dessa lógica!

    E concordo que uma participação dele no Voïvod ficaria sensacional. E tb no finado Batushka!

  2. André

    Me lembrou cantos tradicionais chineses que ouvi em alguns filmes. Pode ser besteira, mas, enfim.

    Achei interessantíssimo, mas, não a ponto de ficar ouvindo regularmente. Não encararia um show inteiro disso.

  3. Marco Txuca

    Eu tb ñ, André. Nem show, nem disco.

    Mas a figura estranha, nesses vídeos p&b, parece aqueles filmes expressionistas alemâes do início do século XX. Daí chamar atenção.

    Thiago: uma participação “dele” Glen Benton, ou “dela” (com corretor q nada corrige) Anna-Maria no Voïvod?

    Confirme aí, pra gente mandar uma petição pros canadenses ahahah

  4. Thiago

    Hahah o certo era “dela”. O pior que nem posso culpar o corretor, vivo cometendo erros desse tipo, vide meus posts por aqui haha.

  5. André

    Marco, a comparação com expressionismo alemão cabe totalmente. Coincidência, tô maratonando filmes do Fritz Land e ela se encaixaria perfeitamente.

  6. André

    *Lang

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.