Thrash com H

20 ANOS DEPOIS…

sábado, 9 junho, 2018 por Txuca

… o q “ficaram”?

8 respostas

  1. Tiago Rolim

    Um retumbante nada! No caso do Slayer, o fundo do poço. Já pros lados do diamante, nada mesmo…

  2. Slayer deixou o legado de inicio de formatação do som que atingiu o auge em WPB.

    Difícil de gostar. Mas gostando, impossível não colocar no modo repeat…

    Discão.

  3. Marco Txuca

    Pra mim, o primeiro disco ruim do Slayer. Disco sem pé nem cabeça, com a banda tentando fazer o q bandas influenciadas por eles vinham fazendo. “In the Name Of God” é horrível.

    Reouvi antes de postar. Consigo gostar só de “Scrum” e “Desire”, q ñ preciso nem olhar no encarte pra saber q eram de Jeff Hanneman.

    Recomendo a audição no You Tube, com gente mais nova (e gabaritada) enxergando passagens de bandas new metal e de SOAD no som. O q ñ é absurdo, mesmo a estréia do SOAD tendo saído mais tarde. Menos de 1 mês mais tarde.

    Rick Rubin produziu os 2.

    ***

    Quanto ao Mercyful, puxa vida: é o meu favorito da banda. Discaralhaço.

  4. Cassio

    Comprei esse slayer qdo saiu do forno! Ainda era a ediçao americana. Na época , paguei 25 contos. Até hoje so ouvi esse disco umas 4 ou 5 vezes no máximo, das quais 2 foram pra gravar fitas pra colegas. Puta decepçao. O que ficou de bom dele é o som (gravaçao, mixagens…) nesse aspecto, é um dos melhores do slayer pra mim.

    O mercyful nao conheço. So os oitentistas que até quero reouvir

  5. Tiago Rolim

    Esse disco é impressionante. Quase todo é de Jeff sozinho. Pode olhar. Se não me engano, só tem um som que não é dele. Algumas em dupla e o resto ele só.

  6. André

    Inspiração em baixa pro Slayer e tentando sobreviver num mundo anti-metal. MF, nem sei do que se trata o disco em questão.

  7. Jessiê

    Duas bandas que estão que estão em meu DNA, na minha gênese. Pra mim não tem álbum ruim ou fraco. Apenas uns são inferiores a outros.

    No caso do Slayer curti na época, não ouço muito hoje em dia mas ouço. Acho que ele sofre muita pancada exagerada. A afinação incomoda? Um pouco. A bateria de lata incomoda? Não chega a ser St. Anger mas incomoda sim. O Slayer sofreu influêcia da “moda”? Sem dúvida. Mas o dna da banda não se alterou é Slayer. Tem boas músicas que são tocadas até hoje. Curto Bitter Piece, In The Name Of God, Screaming From The Sky e Wicked alem de Stain of Mind. Também curto a capa e o título. Mas loonge dos melhores dias é claro.

    Já o Mercyful Fate tem uma discografia muito sólida, este álbum em si é muito bom. Muito bem construído. Meso se você não curte o vocal (eu adoro todo o drama) tente transcender e ouvir o instrumental. É um disco bem heavy metal em tom de sonoridade. Não exagero em dizer que é o melhor (porque nada supera os dois primeiros pra mim) mas é um grande álbum.

  8. märZ

    O Slayer vou com a maioria e acho fraquinho, confuso, equivocado. Não ouço há anos. Já o MF, confesso que nunca ouvi.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.