Thrash com H

20 ANOS DEPOIS…

quinta-feira, 14 dezembro, 2017 por Txuca

… o q ficou?

DEAD HEART IN A DEAD WORLD

quarta-feira, 13 dezembro, 2017 por Txuca

Literalmente. Parece q ocorreu ainda há pouco.

https://whiplash.net/materias/news_772/275276-nevemore.html

Porra. 48 anos.

25 ANOS DEPOIS…

quarta-feira, 13 dezembro, 2017 por Txuca

… o q ficou?

ENCARTE: ABATTOIR

quarta-feira, 13 dezembro, 2017 por Txuca

Nem sempre uma banda entende a si própria e o q está fazendo. A ponto de se avaliar obtusamente. E se sabotar miseravelmente. Histórico dos caras, breve e redigido por um certo Nicki Neil em “The Only Safe Place” (1986):

It took 21 days to lay down The Only Safe Place, even though much of the album was recorded during a time of turmoil and controversy. Two weeks before entering the studio Mike Towers (ex-Heretic) replaced departed frontman Steve Gaines. The band was looking for someone with a grittier tone and Towers fill the bill. But soon after other problems arose, bass player Mel Sanchez found himself in the middle of a difficult divorce and guitarist Mark Caro was in conflict with the band’s manager and the album’s producer.

The lack of both Mel and Mark’s presence in the studio affected the album’s final outcome because the band originally intended for a much heavier sound but wound up with something far more commercial. White ABATTOIR had not compromised their sound The Only Safe Place did contain the abrasive wall of guitars and high-octane blasts that the band had become known for but the overall production given to them obviously was in hopes of attracting a wider audience. Though the members of ABATTOIR may not have been happy with the album, fans and critics loved it with one journalist even stating, ‘The Only Safe Place is an album that proves the band is learning the fine art of metal at its best’.

Just a few months after the album’s release ABATTOIR called it quits due to conflicts in musical interest. Half the band wanted to pursue the new sound while the founding members wanted to stay true to ABATTOIR’s speed-core roots. Mel Sanchez later joined original ABATTOIR guitarist Juan Garcia in the new group Evil Dead, who cut four albums for SPV while drummer Danny Anaya teamed up with MX Machine for the humorous gem Manic Panic. The band may have ceased to exist but their legend lived on and for years many people spoke highly of the band who took Los Angeles by storm“.

INT3RG4LÁT1C0S

terça-feira, 12 dezembro, 2017 por Txuca

Rolê pelo Metal Archieves rende a seguinte descoberta: q tal curtirmos, irmos a um show e/ou compramos por ali merchan do 01101111011101100110111001101001?

https://www.metal-archives.com/bands/01101111011101100110111001101001/3540434066

Será q o logo cabe numa camiseta? Parece q sim.

E os sujeitos, certamente insanos, alegam virem da Antártida e de Marte. Em parte por se tratar de banda transnacional: tem argentino, argelino, mexicano e francês na horda. O significado do nome? Código binário pra OVNI. Eita.

A banda tem um single e um ep lançados, este ano: “R * FP . NE . FL . FI . FC. L = N” e “S 2 0 0 4 S 3”. Sons intitulados no mesmo padrão. E seus integrantes são: HD140283 (vocais), S/2004S3 (guitarrista/baixista) e HVC 127-41-330 (baterista).

Ñ ouvi nada ainda; a banda tem página no Facebook. Boa sorte a quem quiser encarar.

 

PS – e eis q encontrei coisa mais difícil de pedir em show q os sons recentes do mais recente Carcass ahah

NOVIDADISMOS

segunda-feira, 11 dezembro, 2017 por Txuca

MELHORES BANDAS/ARTISTAS Q EU CONHECI EM 2017:

  1. Communic
  2. Black Star Riders
  3. Lock Up
  4. Michael Schenker Group
  5. Insidious Disease
  6. Willie Nelson [culpa do bonna]
  7. Extermínio
  8. Hawkwind
  9. Love
  10. Figueroas [idem “Willie Nelson”]

EMBATE 2

sábado, 9 dezembro, 2017 por Txuca

versus

1º ÁLBUM (PESADO)

sexta-feira, 8 dezembro, 2017 por Txuca

Idéia da pauta hj é rememorar qual o 1º álbum pesado q quisemos, tivemos e por quê.

1º álbum: “Flipper Hits 2”, coletânea da então CBS/Epic, com sons de Journey (“Separte Ways”), Toto (“Africa”), After the Fire (versão em inglês para “Der Kommissar”, do Falco), The Clash (“Rock the Casbah”), Styx (“Mr. Roboto”), dentre outros ñ tão pesados. Via propaganda na tv Bandeirantes, com trecho – mínimo hj – de clipe/som do Journey. Curti demais e pedi a minha mãe q me comprasse

Achamos num supermercado perto de casa. Tenho o vinil ainda, q literalmente gastou e ficou impraticável de riscado, até q uns anos atrás recomprei (em vinil) num sebo.

1º som: “Separate Ways” (Journey). Curti tudo: vocal, refrão, solo, teclados, bateria e o peso daquela guitarra. Até hj soa pesado. Eu tinha 8 anos de idade.

A GRANDE EXTINÇÃO

quinta-feira, 7 dezembro, 2017 por Txuca

Por märZ

Nem vai precisar de meteoro. Nos próximos anos, vários artistas da música pendurarão suas já desgastadas chuteiras. Seja por cansaço ou morte, até 2020 creio que desaparecerão de vista (entenda-se palco e estúdio) dinossauros do calibre de Paul McCartney, Rolling Stones, Roger Waters, Deep Purple, Kiss, Scorpions, The Who e vários outros.

É natural. A idade pesa. Se juntarão a Rush, Sabbath, Nazareth, AC/DC, Motörhead, Dio, Bowie e tantos outros que já se foram ou aposentaram.

50 ANOS DEPOIS…

quarta-feira, 6 dezembro, 2017 por Txuca

… o q “ficaram”?

« Previous Entries