Thrash com H

CUT TO THE CHASE

sexta-feira, 17 janeiro, 2020 por Txuca

“Comentando Discografia”

Celtic Frost

“Morbid Tales” – negatividade
“To Mega Therion” – perversidade
“Into the Pandemonium” – excentricidade

“Cold Lake” – obtusidade
“Vanity/Nemesis” – dignidade

“Monotheist” – malignidade

DOUBLE AGENT

quinta-feira, 16 janeiro, 2020 por Txuca

O primeiro grande lançamento de 2020?

Sai amanhã “The Burning”, novo do projeto paralelo do Stevão. British Lion. A julgar pelo single (acima) e por um outro, “Lightning”, tb já disponível, está melhor. Mas ñ muito.

Vocal chato, som meio genérico, sem aquela inspiração ou identidade toda.

Deixo o embate “parece Maiden” pra lá. Pois ñ parece. Já q ñ tem Bruce Dickinson, Adrian Smith, nem principalmente Nicko McBrain. Dá até pra fingir ser um Iron Maiden com Steve, Dave Murray e Janick Gers. Mas tb ñ faz jus.

O q fico encafifado é:

1) será plano de aposentadoria do chefe? Cansado de mandar na matriz, estaria achando uma menor (do tipo q toca pra Cine Jóia semi-cheio) pra continuar chefão?

2) indício de q o Iron Maiden estaria parando aos poucos mesmo? Me parece difícil haver algum anúncio de “fim da banda”. A ñ ser q Bruce o faça ou alguém venha a falecer

3) fazer ou criar os filhos, parece já estar feito. Todos grandes. Jogar futebol tvz a idade já ñ permita. Então bora tornar o trampo um hobby? Sei lá.

Vai q cola.

Imagina na Copa.

NEW WORLD MAN [FF2]

quarta-feira, 15 janeiro, 2020 por Txuca

Citação de Aristóteles no encarte em “Genexus” (2015):

Not everyone who walks in the guise of man is human“.

CHEMISTRY

terça-feira, 14 janeiro, 2020 por Txuca

40 anos depois… o q ficou?

GHOST OF A CHANCE

segunda-feira, 13 janeiro, 2020 por Txuca

DISCOS DO GHOST PRA MIM:

  1. “Meliora”
  2. “Prequelle”
  3. “Opus Eponymous”
  4. “Infestissuman”

Ñ tenho os ep’s (3) nem o disco ao vivo: valem?

HAND OVER FIST

sábado, 11 janeiro, 2020 por Txuca

versus

A FAREWELL TO THE KING

sábado, 11 janeiro, 2020 por Txuca

Tem 37 anos q comecei a ouvir música diária, febril e obsessivamente. Há 30 eu toco bateria, sendo q JAMAIS toquei Rush em ensaio ou na frente de qualquer pessoa. Só no air drumming solitário. Pq é pecado, uma heresia, seria um desrespeito da minha parte.

E pq ñ consigo tocar. Entendo, mas pouca coisa consigo tentar imitar.

Assim: Peart foi o meu maior ídolo. Meu maior herói. Pra mim, o melhor baterista de todos, da História. Ñ aceito discussão.

E se é certo q a gente vem sofrendo com a morte de inúmeros ídolos q admiramos, e q essa enxurrada morfética está longe de encerrar, tenho q por mais q tenha lamentado as mortes de Lemmy, Animal Taylor (me abalou mais, pq inesperada), Jeff Hanneman, Johnny Ramone ou Raul Seixas, a morte de Neil Peart me pesa mais pq DÓI.

Nada q eu possa dizer fará alguma justiça ou sentido. Se temos ídolos, é pq os mesmos nos servem de modelo, de parâmetro, de ideal daquilo q gostaríamos de ser.

Jamais serei Neil Peart, jamais conseguiria ou conseguirei. Mas pra além da bateria, havia o letrista, o inconformista, o anti-estrela, o exemplo, o freak, o nerd e o gênio. Tudo o q eu gostaria de ser e vou tentar continuar tentando. Ainda q na fantasia.

O Thrash Com H declara luto oficial de 30 posts por Neil Elwood Peart.

20 ANOS DEPOIS…

sexta-feira, 10 janeiro, 2020 por Txuca

… o q ficou?

TRUTH BE TOLD

sexta-feira, 10 janeiro, 2020 por Txuca

(Pauta nova mensal)

Singular e plural, pra clarear em definitivo; afinal todo mundo aqui já ouviu gente falando errado o nome das seguintes bandas:

Twisted Sister é SINGULAR, ñ é “sisters“. Já Infectious Grooves é PLURAL, nada de “Infectious Groove”.

ENCARTE: CHRIS CORNELL

quinta-feira, 9 janeiro, 2020 por Txuca

Lembrete afável e negritadamente simpático ao fim dos agradecimentos em “Euphoria Morning” (1999):

“Special thanks to the Soundgarden fans. You made my decade”.

« Previous Entries