Thrash com H

ENCARTE: IRON MAIDEN

quarta-feira, 25 novembro, 2015 por Txuca

Inventário da “World Slavery Tour 84/85” pelo tour manager Tony Wigens no encarte da minha versão cd de “Live After Death” (1985):

The tour really began for the band as early as June 20th, 1984, when they based themselves in Florida, USA, to rehearse for the tour. This was followed in early August by five days of pre-production in Hanover, Germany, where the whole stage, P.A., lights, etc. were put together complete for the first time.

The first concert was in Warsaw, Poland, on August 9th 1984, and continued through 24 countries for 322 days. During this period, we travelled nearly 100.000 miles, used 7.778 hotel rooms, 6.392 guitar strings, 3.760 drum sticks, 3.008 guitar picks and consumed about 50.000 cans of beer, 30.000 soft drinks, 6.000 pints of milk, 2.500 pints of orange juice and literally tons of food.

The equipment, all of which the band owns, was transported in six forty-five foot articulated trucks – all forty tons of it!

7 respostas

  1. märZ

    E quantos anos tinham os membros da banda então? Vinte e poucos?

  2. André

    Por aí. Menos o Nicko, que já era “velho”.

    Nessa época, o Iron era grande no mundo inteiro. Essa turnê que acabou com os caras pelo o que a história conta.

  3. Colli

    Impressionante como a banda já era muito grande nessa época.

    Se comparado com o Metallica, por exemplo, na mesma época… era menos que fichinha.

  4. doggma

    É… o Harris pode compor até country progressivo hoje em dia, se quiser.

  5. Marco Txuca

    Idades à época, märZiano: Steve, 29. Bruce, 27. Murray e Smith, 28. Nicko, 33.

    Tem a história de q a turnê quase acabou com os caras. Vide Bruce com idéias xaropes de querer fazer disco acústico na safra “Somewhere In Time”, no q foi prontamente vetado. E no q, até “Fear Of the Dark”, virou funcionário da empresa.

    Mas me parece q foi a turnê onde os caras viraram mega banda e, provavelmente, ficaram mega ricos. O tanto de datas é insano, e parece ter sido um modus operandi ainda setentista: as turnês nababescas eram coisa de ELP, Led Zeppelin, Aerosmtv (ainda Aerosmith) e outros.

  6. André

    Sobre as turnês gigantes, dei uma olhada no encarte do The Number… e só nos EUA foram mais de cem shows. Os caras souberam capitalizar em cima do sucesso da época.

  7. Marco Txuca

    O mais bizarro é ter páginas sobre cada turnê deles na Wikipédia. Com direito a set-lists e o escambau.

    Procurem lá: “World Slavery Tour”.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.