Thrash com H

DIREITOS AUTORAIS USURPADOS?

terça-feira, 21 julho, 2015 por Txuca

Vejamos e convenhamos: tirando nos EUA e, tvz, por aqui, bandas inspiradas em Rammstein surgiram a torto e a direito. Aos cântaros. Bandas reconhecidas se inspiraram neles com parcimônia, como até mesmo o Nightwish.

Nada de banda revolucionária: apenas uns ogros competentes surgidos na hora e lugar certos. Com os 2 últimos discos fazendo mais do mesmo e demonstrando declínio aparente, repetição da proposta, marasmo de idéias.

Aí vem Peter Tägtgren (Hypocrisy e Pain) e monta projeto com o vocalista Till Lindemann. Banda intitulada Lindemann, q recém-desovou álbum de estréia conceitual sobre parafilias, abaixo:

Dúvidas atrozes, por ora:

1. ficou um Rammstein melhorado, mesmo em inglês, ou um Pain melhorado, com vocal melhor?

ou

2. ñ caberia ao Rammstein entrar com recurso na OTAN pedindo embargo da obra? ahah

Os titulares estariam pra lançar álbum novo ainda este ano. Em q condições?!?!

4 respostas

  1. doggma

    O Tägtgren foi rapidinho nessa, hein… Ainda vou conferir esse opus, mas tenho boas expectativas. Tägtgren é rato de estúdio, a ferramenta ideal pro psicopata do Lindemann, rs…

    E curti o último disco do Emigrate, a banda paralela do guitarrista Kruspe. Só por ter colocado o Lemmy cantando metal industrial já valeu. Foi phueda.

  2. Marco Txuca

    Tem link?

    Comprei o primeiro Emigrate anos atrás por 50 centavos, sem capa nem caixa, num sebo, e achei caro.

  3. Faça

    Lembro de ter ouvido o tal Emigrate há MUITOS anos atrás, mas parece que entrou por um ouvido e saiu pelo outro, porque não tenho memória alguma de nenhum som correspondente ao nome. Segui ouvindo Rammstein.

    Eu até gostei (e muito) o último álbum dos caras, que já saiu faz um bom tempo, até. Não tô muito animado com essa “volta” deles porque, sinceramente, achei esse disco aí do Lindemann nada mais, nada menos, que um Rammstein cantado em inglês, com toques cá e acolá do Pain (o que também não diz muito, já que o Pain vai na mesma linha de som que os alemães). E, olha, até que eu tô curtindo bastante esse álbum aí.

  4. doggma

    Um sample curtinho: https://soundcloud.com/emigrate/03-rock-city-night

    Só comentando que acho o idioma alemão, mesmo sem entender porra nenhuma, essencial na música desses caras. Saber que o Lindemann gravou em inglês me desanimou.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.