Thrash com H

1º SOM – 1º ÁLBUM

sábado, 15 junho, 2013 por Txuca

Judas Priest

1º som: a memória me falseia um tanto. Fico com o clipe da versão de “Johnny B. Goode”, na mtv em 1990, pouco antes deles virem ao Rock In Rio 2, em 1991. É possível q eu já conhecesse “Living After Midnight” e “Breaking the Law”. E é possível q tenha sido “Painkiller”, clipe na mtv. Mas fico com “Johnny B. Goode”.

1º álbum: “Painkiller”, gravado em fita logo em 1991. E q só comprei o cd ano passado.

9 respostas

  1. Jessiê

    1.º som E 1.º disco The hellion/eletric eye e Screaming for vengeance emprestado de algum amigo sei lá quando (86/7) por aí. Achei muito bom e fui atrás do restante encontrando o sad wings of destiny que me impactou com seu som pesado, guitarras da mais entrosada dupla de todos os tempos (como eram conhecidos) e o vigor da voz do Halford.

    Txuca se puder me informar acerca da dúvida do show do sabão no post abaixo agradeceria :).

  2. Marco Txuca

    Abaixo.

  3. marZ

    1. som: Turbo em 86.
    1. album adquirido: British Steel no mesmo ano.

    Eu já ouvia rock pesado e comprava a revista carioca Metal, que não cansava de dizer o quanto o JP era bom. Aí quando saiu o Turbo pedi pra ouvir na loja de discos e pensei comigo: “é isso?!”. Depois o “mal entendido” se desfez e saí catando o que conseguia deles.

  4. Jessiê

    Turbo desagregando fãs do Judas desde 1986!

  5. Tiago Rolim

    1º som: Painkiller na casa de um amigo, em clipe copiado da mtv de recife! Em João Pessoa, no inicio dos anos 1990, não pegava mtv.
    1º Album: Jugulator. Tenho até hoje e curto p carai este disco, mais do que o Painkiller se querem saber…

  6. doggma

    1º som, “Turbo Lover”, sem saber de quem era, no final dos anos 80. Achei o som muito parecido com Billy Idol, menos voz, claro. Na hora até gostei, mas anos depois fiquei chocado quando soube que era Judas Priest, rs.

    1º álbum foi “Metal Works ’73–’93”, uma coletânea dupla matadora que gravei de uma locadora de CDs (lembram disso?), lá pelos idos de 94-95. Foi meu primeiro mergulho efetivo no universo do Priest. “Freewheel Burning”, “Night Crawler”, “Dissident Aggressor”, “Painkiller”, “Electric Eye”, “Victim of Changes”… sonzeira atrás de sonzeira. Pirei, obviamente.

  7. Marco Txuca

    Tirando um ou outro álbum mais coeso (pra mim, “Sad Wings”, “British Steel” e “Painkiller”), Judas é uma banda boa de coletânea, né ñ?

    E é claro q lembro de locadora de cd, doggmático. Na minha faculdade, deixava de comer e de xerocar livro pra alugar cd`s e gravar em fita. Montes de disco q tenho até hj e nunca achei cd pra comprar até hj.

  8. FC

    1º som: Beyond the realms of death, no Rock in Rio. Não dei muita bola.

    1º álbum: Live 98′ Meltdown

  9. Marco Txuca

    E o q ñ é telepatia no casamento, hum?

    Minha esposa, q pouco lê o blog, e nem leu o post dedicado ao Judas, me deu de presente ontem “Single Cuts”, coletânea dos caras.

    Muito boa, e q ponho apenas 2 defeitos:

    1. ñ conter “The Hellion/Electric Eye”
    2. tem “A Touch Of Evil” (melô do proctologista) editada!

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.