Thrash com H

ENTER SANDMAN

segunda-feira, 12 fevereiro, 2018 por Txuca

DISCOS DO MORPHINE PRA MIM:

  1. “Cure For Pain”
  2. “Good”
  3. “Yes”
  4. “Like Swimming”
  5. “B-Sides And Otherwise”
  6. “Bootleg Detroit”
  7. “The Night”

EMBATE 2

domingo, 11 fevereiro, 2018 por Txuca

versus

40 ANOS DEPOIS…

sábado, 10 fevereiro, 2018 por Txuca

… o q “ficaram”?

UM ANO DEPO1S…

sábado, 10 fevereiro, 2018 por Txuca

… o q ficou?

1º SOM – 1º ÁLBUM

sexta-feira, 9 fevereiro, 2018 por Txuca

Dark Angel

1º som: certamente a faixa-título “Darkness Descends”…

1º álbum: … por conta de eu ter comprado o álbum “Darkness Descends”, ainda em lp (ainda tenho), sem nunca ter ouvido nada da banda. Comprei pq já conhecia o trampo de Gene Hoglan no Death e comecei a ir atrás de bandas com ele

Comprado em época noventista de ascensão do cd e em q vinis por aqui eram vendidos a preço de pão. Devo ter pagado algo equivalente a 5 golpes de hj no disco. E ñ curti. E comprei o cd só ano passado, pra reavaliar e poder gravar em pendrive pra ouvir no carro. Embora entenda a importância da banda e curta os 2 álbuns seguintes, continuo ñ achando grande coisa.

MASTERED BY TED JENSEN

quinta-feira, 8 fevereiro, 2018 por Txuca

Todo mundo por aqui já se deparou com o título acima lavrado nalgum cd/lp. Tvz só em menor número q álbuns “masterizados por Bob Ludwig”.

Ted Jensen é norte-americano e engenheiro de som fodão. O “mais ativo engenheiro de masterização da indústria”. Ainda. Mixou e masterizou já por volta de 2400 álbuns, ñ só de heavy metal, chegando a ganhar um Grammy em 2003 pelo trampo específico em “Come Away With Me”, de Norah Jones.

Acho q sei de q se trata “masterizar um álbum”, mas ñ sei se sei explicar. Meio uma afasia eheh

(se alguém quiser ajudar…)

Os motivos desta pauta, entretanto, são dois:

1) o fato de ter encontrado no Metal Archieves a ficha de Jensen. Parei nas bandas iniciadas em “D”, q já é coisa pra cacete. As informações do 2º parágrafo acima, aliás, constam por ali na página a seguir também. Em: https://www.metal-archives.com/artists/Ted_Jensen/79014

2) uma polêmica, da qual copio integralmente:

In recent years he has come under scrutiny for being the mastering engineer behind some of the most poorly mastered albums in terms of dynamics, usually referred to as the Loudness Wars; this includes the albums Death Magnetic by Metallica, and Black Gives Way to Blue by Alice In Chains. However in the case of Metallica‘s dynamically-challenged release an e-mail claiming to have come from Ted Jensen states that the mixes arrived that way and that he was not proud to have been associated with the release“.

Nada de culpar a mixagem, a masterizaçao ou o Pro Tools por tudo, hum?

ENCARTE: BLUE ÖYSTER CULT

quarta-feira, 7 fevereiro, 2018 por Txuca

Declaração sei lá se fictícia na contracapa do encarte em “Secret Treaties” (1974):

Rossignol’s surious, albeit simply titled book, the Origins of a World War, spoke in terms of secret treaties, drawn up between the Ambassadors from Plutonia and Desdinova the foreign minister. These treaties founded a secret science from the start. Astronomy. The career of evil”.

ADENDO

terça-feira, 6 fevereiro, 2018 por Txuca

Quando pela 1000ª vez citei, há duas semanas, o box “Autopsy”, do Coroner, lamentava – de novo – ñ encontrar o material inteiro no You Tube (sobretudo os sons todos do dvd 2, dos shows de retorno), pra reiterar, ratificar, indicar, instigar, insistir.

Mas eis q encontro integralmente o documentário “Rewind” (do dvd 1), com legendas em inglês, bastante úteis em se tratando da língua coloquial nos depoimentos ser ALEMÃO.

A ñ ser as partes em q Max Cavalera fala em seu papiamento próprio eheh

Uma hora e 45 minutos da vida dos amigos q ñ serão perdidos, garanto.

CRIATURAS

segunda-feira, 5 fevereiro, 2018 por Txuca

DISCOS DE SIOUXSIE & THE BANSHEES PRA MIM:

  1. “Tinderbox”
  2. “Superstition”
  3. “Through the Looking Glass”
  4. “Voices On the Air: the Peel Sessions”
  5. “The Scream”

O q eu tenho, por ora.

20 ANOS DEPOIS…

sábado, 3 fevereiro, 2018 por Txuca

… o q ficou?

« Previous Entries Next Entries »