Thrash com H

VETERANAS

terça-feira, 10 maio, 2022 por Txuca

Girlschool, “Legacy”

A profusão de participações especiais – feat. é o caralho – sobretudo de guitarristas (Eddie Ojeda, JJ French, Phil Campbell e Fast Eddie Clarke) colaborando com solos mostra o quanto as moças são (continuavam) queridas no meio, mas quase eclipsou o disco. Q é bom. E pesado.

Ao mesmo tempo, Tony Iommi e Ronnie James Dio – sim! – juntos em “I-Spy”, melhor som (e superior à versão só com elas, na faixa 3) deveria ter içado o Girlschool em meio a tantas tentativas bacanas NWOBHM de retornos de bandas idem.

“Legacy” contém ainda Lemmy Kilmister co-escrevendo e cantando junto “Don’t Talk to Me”. Ñ traz aquela banda de antigamente, nem daria. E tem sons outros q ñ só os de auxílios luxuosos.

Mas parece q passou batido.

Aí eu culpo algum desinteresse do público, ñ afeito a bandas vintage. Tvz até por machismo. Ou a uma falta de promoção considerável.

Todo modo, o disco ñ dissipou na atmosfera e tem por aí pra ser ouvido. Acho q merece uma atenção.

2 respostas

  1. märZ

    Banda altamente injustiçada; seus primeiros trabalhos são excelentes, rock casca grossa sem firulas. Como não vingavam, devido a fatores que não tenho conhecimento (mas aposto que um deles era preconceito), acabaram fazendo concessões em seu som e visual, certamente por pressão da gravadora, e lançaram alguns albuns meia-boca na segunda metade dos 80.

    Esse Legacy é maneiro, rockão honesto, e Jackie substituiu com competência a falecida guitarrista/vocalista Kelly. Ficou um album pesado, divertido, honesto, e fácil de se achar barato por aí.

  2. André

    Eis uma banda que daria um excelente documentário.

    Quanto ao disco, darei uma ouvida. Álias, não só esse disco.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.