Thrash com H

MALDIÇÃO

quinta-feira, 10 setembro, 2020 por Txuca

Recado q o Leo me mandou por WhatsApp anteontem:

“Pare tudo que estiver fazendo agora. Se não conhecer esse DVD e assista, pelo menos os 10 primeiros minutos!

MUITO MELHOR QUE MUITO METAL NACIONAL!

Luiz Caldas!

SIM! LUIZ CALDAS!

Cenário de Alice Cooper, guitarra flying-V e tudo!

Acho até que merece um post especial no TcH! Hahahaha”

8 respostas

  1. Jairo

    Como acabei de dizer no WhatsApp, cenário fantástico, músicas cativantes e clima de rock. Vale muito a pena!

  2. bonna, generval v.

    Será o programa da noite!

  3. FC

    Rapaz, inacreditavelmente bom.

  4. Leo

    Hahaha

    Quando recebi de um amigo, fiquei receoso, tanto pelo amigo, como pelos algoritmos do Youtube que poderiam passar a me indicar clipes de axé.

    Cliquei, mesmo assim, pela consideração ao enorme bom gosto do colega de longa data. Eis que me deparo com o que disse ali em cima para o Marcão… Custava a acreditar que o título coincidisse com o conteúdo (e, em época de fake news, fake images, deepfakes, convenhamos que esse ceticismo é até bastante justificado), mas é bem bom mesmo!

    Maldição… Rs

  5. Alessandro

    Foi o que falei pro Leo: Luís Caldas é o Mille Petrozza brasileiro

  6. André

    Achei foda e vergonha alheia ao mesmo tempo kkkk

  7. Marco Txuca

    Vamos combinar uma coisa: “Vergonha Alheia” é Noturnall no Rock In Rio ou Franga com Tarja num outro Rock in Rio. Q tal?

    A dona Maria Odete se ler os comentários aqui vai xatiar. Mas q se foda ahahah

  8. Leo

    Concordo com o Marcão.

    Acho que essa é uma ótima apresentação (obviamente, parametrizada pelo contexto todo), muito melhor que muitas propostas do “metal nacional” e, especialmente, do alardeado e superestimado “countrycore” (entendedores entenderão. Rs)

    Há uma preocupação em produzir um show, de fato, com ambientação bem montada, som pesado, Luiz Caldas solando bem na guitarra, letras em português, enfim… uma estética completa.

    É uma derivação que nunca tivemos de hard rock no Brasil (ao menos, eu desconheço), de um performático teatral, na linha do Alice Cooper. E, se Luiz Caldas tomou essa referência, ponto pra ele, pq Alice é denso, e demanda um certo trabalho de pesquisa pra ser digerido, vide que produziu até com Salvador Dali.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.