Thrash com H

KRISIUN

quarta-feira, 9 janeiro, 2019 por Txuca

04 e 05.01.19 – Sesc Belenzinho, São Paulo

Ñ tem muito q eu consiga dizer sobre o Krisiun q já ñ disse por aqui. E de outros shows (foram meus 7º e 8º, salvo engano), sobretudo recentes, de q já fui. Parto de algo meio clichê: “são banda gringa q moram aqui”. A q somo a opinião do amigo Leo, com quem fui na sexta-feira:

“é quase um anticlímax ‘Black Force Domain’ ao final”

Sim, tinha tr00 q pedia “Black Force Domain” desde o comecinho da apresentação. Aquele tipo cabeçudo q vai só pra ver ESSE som e deixa passar todos os outros. Tvz pq ache q os caras estejam “vendidos”; ou por ñ ter cognição pra apreciar a evolução desses caras.

Imaginem a brutalidade, o monte de nota, a bateria opressiva. E TUDO soando claro e ALTO. Deixando a gente realmente atordoado – ñ for assim, melhor ficarem em casa. Detalhes outros meio a tôa q pouca gente percebe: o baixo comparecendo mais em volume (Alex Camargo SABE tocar) e backing vocals a cargo de Moysés Kolesne, muito bem-vindos.

***

Parto pro periférico: soube desse show – alô, Eric! – pouco antes do Natal. Pelo preço – 20 contos a inteira – resolvi ir aos 2. Acho q nunca tinha ido a 2 shows seguidos duma mesma banda. Perto do Ano Novo, já se ouvia falar q o show de sábado estava sold out.

Na quarta-feira passada, vi pelo Facebook o Sesc anunciando “nova cota de ingressos” pros shows. Medo de juntar muito metaleiro, aí resolveram vender um pouquinho mais. Tavam lotados? Sim, mas podia ter enchido mais, ñ abarrotados. E de certo modo, essa prevenção babaca contra os headbangers faz parte um pouco da coisa; tinha até esquecido q existia.

Em termos de público, algo q já havia chamado minha atenção no Arch Enemy/Kreator: um monte de mulheres. E ñ só por estarem acompanhando namorados dementes (caso da minha namorada eheh): por curtirem o extremismo mesmo. Mulherada entrando nas rodas, sem q babacas se aproveitassem pra tirar casquinha, nem nada. Como era em outros tempos, como nunca deixou de ser. Zero tumulto, nenhuma treta, rodas sem vandalismos.

Além disso, monte de criança presente; um tanto pela estrutura do lugar permitir (entrando junto com os pais etc.), outro tanto em função dos pais levarem aos seus pequenos já a cultura sempre alternativa, proscrita e de tolerância. Por mais q youtubbers imbecis (me recuso citar nome) ou “apoiadores” do “metal nacional” digam o contrário.

Q fiquem em suas redes sociais se masturbando com discos do Viper e seus 17 pôsteres do André Matos.

***

Shows: o de sábado um pouco melhor. Os caras, e sobretudo Max, mais a fim. Mais sedentos de sangue. Com a faca nos dentes. E pq tocaram “Slaying Steel”, “Hatred Inherit” e “Conquerors Of Armageddon”, preteridas sexta, quando preferiram tocar mais sons novos (como “Devouring Faith”) – e q funcionaram muito melhor ao vivo – e até umas velharias inesperadas. Tipo “Hunter Of Souls”.

Salvo engano, faltaram sons só de “Ageless Venomous” (ainda meu preferido) e “Works Of Carnage”. Cover foi “Ace Of Spades”, pra mim ok. Zero oportunista. Mas preferia q tocassem “Sweet Revenge”, já gravada em “AssassiNation”.

Ponto fraco continuam os discursos de Alex, quase em nível Ozzy Osbourne: 3 ou 4 frases repetidas. Até agradam, mas… Meio q um sujeito carismático sem carisma. Poderia falar um pouco dos sons, dos álbuns – afinal, com ONZE lançados, já têm muita História – mas penso q o hd cerebral deve estar tb bem ocupado com as letras decoradas.

Se bem q ñ ouso dizer ter havido embromation. Nem ninguém ali presente. Há alguém q vá ver o Krisiun pra cantar junto?

Tem q ser MUITO tr00 ahah

Set-list (de sábado. Sem lembrar onde encaixaram o Motörhead) 1. “Ravager” 2. “Combustion Inferno” 3. “Scourge Of the Enthroned” 4. “Blood Of Lions” 5. “Descending Abomination” 6. “Vengeance’s Revelation” 7. “Ways Of Barbarism” 8. “Demonic III” 9. “Slaying Steel” 10. “Slain Fate” 11. “Conquerors Of Armageddon” 12. “Ace Of Spades” 13. “Bloodcraft” 14. “Hatred Inherit” 15. “Black Force Domain”

2 respostas

  1. bonna, generval v.

    Curiosidade: vc leva “caderninho” para anotar as faixas? Eu, por mais que reconheça, nunca lembro a ordem… acabo me confundindo com a ordem de algum dvd ou show do youtube. Daí consulto o setlist.fm mas que já me deparei com erros de shows inesquecíveis da minha vida, tipo Metallica 1999, meu primeiro.

  2. Marco Txuca

    Dependendo do show, anoto na hora. Celular antigo, anotava no “bloco de notas”; ontem no Violeta de Outono fiquei enviando no zap da namorada ahah

    O setlist.fm ajuda muito em muitos casos, mas nesses do Krisiun, pouco resolveu. Show do sábado ñ constava o set, e o de sexta excluiu a “Ace Of Spades”…

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.