Thrash com H

30 ANOS DEPOIS…

quarta-feira, 1 agosto, 2018 por Txuca

… o q ficou?

4 respostas

  1. Cássio

    o álbum mais ‘thrash puro’ da banda; os outros acho mais ‘experimentais’, apesar de apreciá- los muito mesmo, a exceção é só o ‘Grin’ que não me desce legal mas admito que ainda nao lhe dei novas chances. o PfD é um disco fundamental, músicas complexas e ainda assim, marcantes. para mim é o melhor deles e o que eu indicaria para quem não conhece nada do Coroner. o ‘No More Color’ e o ‘Mental Vortex’ brigam pela medalha de prata.

  2. Tiago Rolim

    Jazz Thrash! Tão simples quanto isso. E olha que esse é o mais “simples” dos caras. Ficou um monolito ainda a ser apreciado pelas massas. Quem sabe no século 22…

  3. Marco Txuca

    A definição chega perto, Tiago: “jazz thrash”. O thrash desses caras estava tão à frente q só agora o tempo vai se aproximando.

    Gosto mais dele q do “R.I.P.”, e dos seguintes mais q deste. Q em comum com o anterior e com o “No More Color” seguinte, só tem a má gravação.

    Puxa vida: a Noise foi incorporada pela Century Media q foi incorporada pela Sony. Será q ñ daria pra remasterizarem devidamente todas essas monstruosidades?

    Provavelmente ñ, pq ñ vai vender. Mas sujeito no You Tube anda fazendo. E pra mim, com ótimo resultado. Eis:

    https://www.youtube.com/watch?v=3R8hhYkhSDE

  4. Cassio

    Foram relançados pela Sony e agregados mas lá fora e diz-se que foram remasterizados. Ja vi o PfD a “módicos” $ 139,00 no mercado livre…

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.