Thrash com H

LANDMARKS

terça-feira, 30 janeiro, 2018 por Txuca

por märZ

Quantos anos tem o heavy metal?

Partindo-se do que é comumente aceito como seu marco zero, o estilo completa 48 anos no dia 13 de fevereiro. Muita coisa mudou nessas quase cinco décadas. Bandas pisaram forte e depois de um tempo desapareceram, outras seguem fortes, estilos foram criados e geraram outros tantos sub-estilos, artistas se consagraram, e tudo se espalhou como fogo em capim seco por esse mundo de Zeus.

Estava pensando aqui em quais seriam os álbuns mais importantes, relevantes e influentes quando se pensa em Heavy Metal, seja lá qual gênero for. Vou tentar citar alguns:

Black SabbathBlack Sabbath (1970): por motivos óbvios. Pegou o blueprint de bandas como o Cream, adicionou peso e ainda mais distorção ao blues e deu no que deu.

Judas PriestSad Wings Of Destiny (1976): talvez não seja muito comentado quando se fala de álbuns seminais de metal, mas o Judas merece o crédito por ter criado uma variação do estilo feito pelo Sabbath, que se baseava em escalas de blues. A música da banda perverteu os tempos e criou a assinatura das guitarras gêmeas, tão copiadas mais tarde. O debut, anterior a este, ainda não trazia esses elementos tão em evidência.

MotörheadOverkill (1979): um monstro em estágio ainda fetal, mas com garras e dentes já bem afiados. Acelerou o passo, ao mesmo tempo que manteve o swing.

Iron MaidenThe Number Of the Beast (1982): “Iron Maiden” e “Killers” foram bons álbuns mas empalidecem quando comparados ao abalo sísmico que foi a estréia de Bruce Dickinson na banda. Criou outro lugar-comum no metal: o ritmo “cavalgado” e os vocais “operísticos”, também tão copiados desde então.

VenomBlack Metal (1982): pegou a deixa com o Motörhead e acelerou tudo, colorindo com temáticas diabólicas e performance enlouquecida. Apesar das limitações musicais, se tornou extremamente influente.

MetallicaKill ‘em All (1983): pedra fundamental do que seria uma das subdivisões mais populares do estilo, o Thrash Metal. Nem precisa falar muito sobre isso.

PossessedSeven Churches (1985): tentando soar como Slayer, Metallica e Venom, sem querer inventaram o death metal.

SlayerReign In Blood (1986): assim como o Iron Maiden, foi em seu terceiro álbum que o Slayer realmente deslanchou. “Reign In Blood” é um dos discos mais influentes do metal e, em termos de velocidade extrema, todo mundo que veio depois deve as calças ao que Dave Lombardo fez aqui.

MetallicaMetallica (1991): após um tempo de certa estagnação e repetição da fórmula, o quinto álbum da banda elevou o estilo a outros patamares, trazendo o metal para as massas. Depois deste álbum, o Heavy Metal nunca mais foi visto da mesma maneira.

***

Bom, esses são os que me vêm à mente nesse momento, e são os que me são mais familiares. Sei que devem haver outros que se encaixam na premissa do post, talvez pertencentes a algum outro sub-estilo tipo glam metal ou algo parecido. Mas essa não é minha praia e espero que alguém aqui possa contribuir.

9 respostas

  1. Jessiê

    Vou citar alguns sem ordem específica de importância e considerando estes que você já citou, e sobre estes ao final comento:

    Deep Purple – Burn: Se o Sabbath é a maior influência das bandas mais pesadas o Purple é pai de muita coisa, trouxe virtuosismo ao Metal, trouxe voz. Sem o Purple provavelmente nem existiria Iron ou até Metallica já que é a maior influência do então jovem batera (do B. Dickinson também).

    Iron – Powerslave: É posterior ao number mais eu acho que legou mais influência já que, junto com o Helloween, gerou tudo, principalmente a parte ruim, de power metal/melódico que veio depois, inclusive essa veio prog.

    Celtic Frost – To Megatherion: Pra mim a maior influência de death metal, moldou o estilo, colocou parâmetros. Uma capa ousada. Uma sonoridade única, vocais femininos. Tudo replicado posteriormente for milhares de bandas mundo afora. Sem falar que é um puta álbum.

    SOD – Speak English or die: Cara esse álbum foi lançado em 1985! É um absurdo! Nem existia o termo crossover nessa época. Metal era metal e não fazia esses lances. É muito influente este play.

    Mercyful Fate – Don’t break the oath: Outro absurdo, foi lançado em 1984 não tinha nada parecido até então (só o Melissa mesmo) que guitarras, letras, construção melódica. Influenciou fortemente o Ride the lightning e um sem número de bandas do metal básico a black metal. Das letras ao corpse paint (não caretinhas do Kiss).

    Sarcófago – Inri: Sim não dá pra esquecer. É muito influente dentro do estilo, não temos nenhum play na America do Sul que gerou este legado. Do início a fim, bateria, letras, visual.

    Paradise Lost – Gothic: Naqueles moldes também foi muito influente e gerou um sem fim de bandas semelhantes (que nunca chegaram perto). Meio doom, meio gótico, vocais femininos, temática.

    Napalm Death – Scum: Outro absurdo esta agressividade foi gerada em 1987! Influência do death ao punk. Político, gutural, rápido, agressivo. Uma máquina!

    Morbid Angel – Altar of madness: Estabeleceu o padrão americano de death metal e iniciou o alfabeto do estilo.

    Rainbow – 1975! Foi estabelecido novos patamares do rock! Blackmore, Dio! Só o Dio! Man on the silver montain. Muita gente correu para comprar uma guitarra, um microfone para montar uma banda! Graças a Dio!

    Só pra ficar em 10.

    Da lista do marZ o Sabbath qualquer um dos 5 primeiros é muita influência e pai de tudo. É a gênese. o Big-bang.

    Esse play do Judas moldou o metal da NWOBHM, deu novos parâmetros. É muito influente. Muito bom. Sem falar o trabalho de Halford! Assustador, primoroso.

    O Possessed acho que foi um acidente de percurso e sempre achei tosqueira, assim como o Venom, mas é inegável o pioneirismo e a influência nas primeiras bandas de thrash e death, sendo que podemos acrescentar o Bathory neste ponto.

    A parte do Slayer nem acho que é onde deslanchou, pra mim deslanchou nos primeiros acordes na garagem do Hanneman, ali o ápice, mas acho tudo soberbo da gênese mesmo (apesar das letras bobinhas do início). Hell awaits é um achado meio fora do ritmo louco. Se o Sabbath é o pai de tudo e Slayer é o pai de tudo que e agressivo e sim o Lombardo merece uma estátua e seu nome nos anais (ui) além de 10% até o fim dos tempos.

    Já o Metallica tenho pra mim que foi mais uma má influência, rs. Mas eu até gosto do play em questão (apesar de pular um monte de faixas).

    Meio que isso.

  2. Tiago Rolim

    Ri quando tu falou que o preto é exemplo, mas um mal exemplo. E mesmo assim ninguém conseguiu replicar. Todos tentaram, mas não deu certo com ninguém. Talvez com o imitador mor do Metallica, Dave Mustaine e seus Countdown e Youthanasia. Imitador esse que hoje em dia, suplantou a matriz e faz temo já.

  3. Marco Txuca

    Curti a lista do märZiano, achei bem escolhidos os álbuns. Só acho q o Possessed tvz seja influente sem querer. (Impressão minha, outra coisa, ou influenciaram o Sepultura velho mais do q admitem?).Tvz pra death metal o S.O.D. ou o Napalm Death tenham sido mais, ou tão influentes quanto.

    Da lista de Jessiê, ponho algum reparo em nomes como Paradise Lost, Celtic Frost, Morbid Angel e Mercyful Fate, até influentes, mas ñ tanto a ponto de gerar sub-estilos. Ou influentes só em determinados sub-estilos. Me parece.

    E eu acrescentaria alguns mais recentes, noventistas, criadores (pra mal tb) de sub-estilos:

    * “The Real Thing”, do Faith No More. Q ñ é culpa deles q o new metal tenha se inspirado, mas muita gente começou a “misturar” coisas a partir dele

    * “Burn My Eyes”, do Machine Head. Todo um metalcore e subgêneros do subgênero veio dele

    * “Heartwork”, do Carcass. Quase como o FNM: ñ têm culpa do monte de tralha autodenominada “death metal melódico” q surgiu louvando o nome em vão.

  4. André

    Sepultura – Chaos AD : em partes, comparo esse ao Album Preto. Ele tem um som que o próprio Sepultura não conseguiu replicar. Outras bandas também nao. Arrisco a dizer que foi mais influente que o Roots.

    Pantera – Cowboys From Hell: uma das, senão a mais influente do período.

    Quiet Riot – Metal Health : o Nevermind do glam metal. Colocou o estilo no radar das gravadoras e deu o início a febre que durou até vocês sabem quando. Foi o único tiro certo da banda. Indicado mesmo para os que tem pé atrás com o gênero.

    Dream Theater – Images and Words: podem falar do Fates Warning, Queensryche, Marillion, etc, mas não existia nada como isso antes. Estabeleceu um padrão a ser seguido e copiado.

  5. Jessiê

    Sou péssimo com datas e tenho preguiça de ficar fuçando no google, então relevem dados inconsistentes neste sentido. Mas o Death metal existe basicamente pela existência do Hellhammer, Death, Morbid Angel e Bathory. O Hellhammer urrava já em 82 com músicas que até hoje são coverizadas. Death metal já do jeito que conhecemos inclusive ecoando na tematica black metal, o primeiro registro oficial do nome Death Metal foi de uma coletânea com o Hellhammer, Helloween e esqueci quem mais em 84. A música do Possessed podia até ter existido mais só foi lançada em 1985 e tenho pra mim que aquele play foi acidentalmente mais pela tosqueira tomada por influência. A Primeira banda death metal de fato foi o Hellhammer e daí que sirgiram tudo na sequência até virar Celtic Frost.
    Em paralelo o Death e o Morbid Angel faziam seu caminho em outra esfera de death uma linha americana (junto com o Master) o Morbid Angel chama o demônio naquela velocidade costumeira desde 1984.
    O Bathory junto com o Hellhammer são os pais do Black metal, Venom nunca foi. Venom era um metal inglês mal tocado com posers fazendo ceninha e letras bobinhas, acabou cunhando o termo mas sem nunca ser de fato Black Metal. Acho que a maior influência do Venom foi no Slayer.
    Nem dá para fazer DNA os pais do Death são Hellhammer, Death, Morbid Angel e Bathory, dois de cada estilo cada qual com seu continente e nascendo meio que em paralelo (os europeus primeiro e mais focados em letras, visual e no próprio demônio em si…).
    Já o Paradise Lost no Gothic trouxe toda a leva de metal gothico (existe isso), com a mulherada inclusive, e o clima todo. Foi o primeiro que teve a idéia de cruzar com aquele som dark oitentista… Depois virou o depeche mode. A influência é neste sentido.
    O Mercyful Fate é pelo conjunto a banda é pioneira no que fez, na forma que construiu a primeira mais pesada em se ligar na qualidade do som, das letras, afinações é uma banda bem mais complexa, não são moleques tentando aprender. Também influenciou muito o black metal.
    Mas todas as bandas citadas em maior ou menor grau trouxeram mudanças no estilo. Até o Soulfly.

  6. André

    Soulfly é irrelevante perto das demais citadas aqui.

  7. Marco Txuca

    Taí o Bathory!

    Venom corria na paralela, imitando mal o Motörhead e tentando aparecer. Quorton ñ aparecia!

    Montou banda q mal dava entrevista, ñ tinha formação direito, ñ fazia show. Até virar banda de um cara só.

    Será q mesmo o Sarcófago ñ tirou uma casquinha dali? eheh

    ***

    Quanto ao Dream Theater apontado pelo André, tb procede. Criou toda uma leva de prog metal chatonildo e conceitual q nem eles mesmo imaginavam. Teve separação no Helloween (Grapow e Kusch) por causa deles!

    E o Pantera, surgiram até uns imitadores, todos muito ruins e caricatos. Mas pra mim o Machine Head influenciou melhor essa turma posterior.

    Quanto ao hard, entendo a menção ao Quiet Riot, q ponho no balaio do Twisted Sister. Bandas de tiozões, nenhum galãzão, q as outras bandas ouviram e tentaram seguir. Mas será q os 2 primeiros do Van Halen ñ o fizeram antes??

  8. märZ

    Van Halen também foi gigante.

  9. André

    O Van Halen e o Kiss(colocaria até o AC/DC) influenciaram demais as bandas de glam. Mas, eram dos anos 70. O Quiet Riot também ( os discos com o Randy são bem fracos), mas, o Metal Health tinha uma sonoridade mais atual ( pra época ). Poderia citar o Shout at the devil do Motley Crue, que ainda tinha o lance do visual. Mas, em termos comerciais, vendeu bem menos.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.