Thrash com H

30 ANOS DEPOIS…

quarta-feira, 6 dezembro, 2017 por Txuca

… o q “ficaram”?

11 respostas

  1. märZ

    Não ouço esse Vulcano desde que saiu, mas minha memória é de que é MUITO ruim e mal gravado. O Panic nunca ouvi, nem na época que saiu.

  2. Tiago Rolim

    Confesso minha mediocridade metal. Nem sei do que se trata isso!

  3. Marco Txuca

    Selo Rock Brigade. Ñ é do teu tempo…

  4. Jessiê

    Sou do tempo mas o Vulcano acompanho o marZ em tudo (nunca consegui, nem nos piores dias ouvir bagaceira) e o Panic se ouvi lembro de nada, só da história da banda mesmo (porcamente inclusive).

  5. Rogério Cruz

    Bom, apesar acompanhar a parada há algum tempo, nunca comentei nada. Então, olá pessoas!
    Esses dois discos saíram com gravações precárias, o Vulcano pela Rock Brigade e o Panic pela Woodstock. O problema é que esse do Vulcano veio na sequência do Bloody Vengeance, que repercutiu muito na época e todo mundo esperava algo no mesmo nível de brutalidade e saiu esse, que se não é ruim, tampouco é bom e passa batido. Já o Panic era uma molecada do RS, som numa linha death/thrashcore legal pra quem curte tosqueira, mas também passou batido. Ninguém conhecia os caras e ficou a impressão de que gravaram graças a contatos, tanto que depois de gravar o segundo disco sumiram. Recentemente voltaram, mas tenho dúvidas se vão acrescentar algo no cenário metálico.
    Pessoalmente fico com o Panic, mas acho que não “ficaram” nada dos dois discos.

  6. märZ

    E o Vulcano, pra piorar e perder de vez o bonde da história, na sequência lançou seu album mais equivocado: “Who Are The True” é tão esquisito e mal colocado que sepultou a banda por quase 2 décadas.

    Alguém aqui conhece essa “pérola”?

  7. Jessiê

    Bem vindo Rogério! A bagaceira aqui é interessante e rende sempre bons debates e algum humor (in) voluntário.

    marZ eu mesmo parei no primeiro (que nunca gostei) lembro de ter ouvido os dois próximos e nunca ter gostado (na época) e abandonado a banda. O primeiro tenho até hoje. Mas reconheço a história e importância mas legado musical pra mim beira zero.

  8. märZ

    O Vulcano era muito promissor, mas ficou pelo caminho. Não teve aquele toque a mais que faria a diferença. Um bom estudio com um produtor que entendesse minimamente a proposta da banda ou algum membro brilhante que liderasse o grupo. Faltou um Carlos Vândalo, um Max Cavalera ou um Andreas Kisser.

    Eu mesmo não era muito fã, achava meio over. Mas “Bloody Vengeance” era legal e tinha muito do tal potencial. Mas vieram “Anthropophagy” e “Who Are The True” e acabaram com tudo. Pelo menos eu vi dessa maneira.

    Aliás, o primeiro parágrafo que escrevi serve pra Taurus, Mutilator, Chakal, Sarcofago e mais alguns.

  9. Marco Txuca

    Acho q vc está falando duma era pioneira. Em q o pioneirismo, por si só, bastava. Diferentemente de hoje, as bandas de metal brasileiro tinham apelo, gente q ia ver ao vivo etc.

    Mas faltou profissionalismo. Sepultura dividiu essa “cena” em ANTES e DEPOIS. Por causa do som, mas mais por causa da EMPRESÁRIA. Os q sobreviveram bem, viraram cult. (Korzus, cult por falta de opção). De resto, tem um monte q está voltando, sem apelo, sem boas composições, apenas pra tentar retomar um patamar q já ñ mais existe.

    Falo, especificamente, de MX, Attomica (mandam bem, mas pra quem?), Holocausto, Vodu e até mesmo o Dorsal Atlântica, com seus crowdfundings.

    Vulcano, conheci o “Live!”, achei horroroso. Ridículo. Ñ fui mais atrás. Estão por aí tb, num limbo.

    Quanto ao Mutilator, tem tudo isso q eu concordo, märZiano, mas tb teve a morte do guitarrista ali, hum?

    Mais espertos foram o Sarcófago, q escolheram o “culto”. E a lamentar o Chakal, q devem ser boa gente e tal, mas lançaram este ano um álbum de regravações… Pra quê? Pra quem?

  10. märZ

    Posso estar enganado mas acho que o Mutilator já havia fechado as portas quando o Magoo morreu em Londres. Ele na época tinha montado uma outra banda chamada Chemako, meio The Cult, que também não deu em nada.

  11. Marco Txuca

    Lembro desse Chemako. Chegaram a se apresentar por aqui, na tv Cultura. Programa “Boca Livre”, do Kid Vinil.

    Soltaram 1 disco, pela Cogumelo, ñ foi? E a Bizz os considerou uma cruza de The Cult com New Model Army. Ñ parecia ruim, mas nunca ouvi.

    https://www.youtube.com/watch?v=xK-eDUFWHQA

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.