Thrash com H

BABYMETAL

quinta-feira, 24 novembro, 2016 por Txuca

Por märZ

babymetal

Na boa? A melhor coisa a acontecer no heavy metal mundial nos últimos 5 anos.

Poréns? Vários, se escolher ser chato: banda montada por empresário, ênfase no visual, marketing virulento, gimmicks óbvios. Mas se for ver por aí, artistas como BowieKiss, Alice Cooper, Rammstein, Slipknot, Ghost e Marilyn Manson também nadam no mesmo balde, em maior ou menor grau. Fazem ou fizeram uso de recursos similares.

O fato é que a banda toca MUITO, e as meninas dão um show de coreografia e carisma. E a vocalista principal tá cantando cada vez melhor e periga virar uma singer de verdade. O impacto é irresistível e o contraste hipnotiza. Grande jogada de quem inventou de juntar o injuntável. E, além de tudo, estão servindo de porta de entrada para drogas mais pesadas, vide a molecada que passou a notar esse estilo de música por causa das japinhas e dos japões, e que vai aos poucos assimilando outras bandas.

Sua popularidade no resto do mundo é assombrável, e parece que só aqui a coisa não decolou. Preconceito?

9 respostas

  1. bonna, generval

    Sou o único que nunca teve curiosidade de ouvir ou assistir qualquer video delas?

  2. Colli

    Não é o único Bonna.

    Mas depois de ler o post fiquei curioso.

  3. märZ

    Assistam esse do link, é uma boa porta de entrada pra conhecer a banda. Aliás, esse show no Japão é de uma estrutura monstro.

  4. FC

    Já tinha ouvido falar, mas confesso que não sabia de que se tratava. Minhas observações:

    – se eu tivesse que escolher entre ir ao show deles ou ao de um “super original filhote de Angra levantador de bandeira do ‘metau nacionau’ que diz estar prestes a estourar na Europa mas que não se desloca pra fazer um showzinho sequer em Jundiaí e ainda reclama de público baixo no Manifesto”, certamente vou no Baby Metal.

    – o próprio Rafael Bittencourt do Angra disse que a gravadora japonesa exigiu que em algumas musicas eles inseriram elementos para atrair o público de lá, por ser muito forte o lance de anime, videogame etc.

    – a canção é boa e os músicos são excelentes.

  5. Andre

    Eu gosto. A performance delas com o Rob Halford foi impagavel. A entrevista posterior mais ainda.

    So nao engulo isso aqui:

    “Mas se for ver por aí, artistas como Bowie, Kiss, Alice Cooper, Rammstein, Slipknot, Ghost e Marilyn Manson também nadam no mesmo balde, em maior ou menor grau. Fazem ou fizeram uso de recursos similares.”

    Fazem uso de recursos similares, sim. Mas, sao bandas de verdade curriculo extenso e o caralho a quatro. Nada a ver com as meninas. O que nao invalida o fato do Babymetal ser legal.

  6. Colli

    Curti o som desse link. Fiquei curioso pra carai para ouvir agora.

    A performance deles é engraçada apenas. Divertida apenas!! :)

  7. Marco Txuca

    Quanto ao “preconceito”, tendo a concordar, num sentido: o Metal Archieves ñ tem Babymetal dentre as 112900 bandas “arquivadas”.

    Mas coloca Alice In Chains e Soundgarden como sendo heavy metal. São bizarros/bizarras, mas são pesados. Têm metal no som.

    ***

    No q tange à maledicência mesquinha do amigo FC, pondero assim: sendo metal nacional ou ñ, incluíssem a maior cantora do Brasil na formação – a eterna MARIA ODETE – tvz eu escolhesse assistir Babymetal. Como ñ o fazem, apoio o metal nacional incondicionalmente. Ainda mais q seu baluarte-mor nos próximos meses passará a ter um “ex-Megadeth” na formação ahahah

    ***

    Outra coisa: este post dialoga com este outro aqui:

    http://thrashcomh.com.br/thrash/2015/09/heavy-metal-e-coisa-de-menina/

  8. märZ

    Interessante ver que a Europa, o Reino Unido e a Asia abraçaram a banda e engoliram isca, anzol e chumbo. A Metal Hammer dedicou 4 capas ao grupo nos últimos 2 anos e o resto da midia metal não ficou atrás.

    Críticos ditos “sérios” de publicações impressas e virtuais dedicadas ao metal destilam elogios aos albuns e shows, e os fãs não se resumem a adolescentes deslumbrados e impressionáveis, mas incluem marmanjos casca-grossa com conhecimento do assunto e anos de peito encostado em grade e calos no pescoço. É definitivamente um fenômeno a se respeitar, mesmo que daqui a 10 anos ninguém se lembre mais.

    Quanto à citação a Bowie, Kiss etc, claro que não comparei o som ou a importância desse ou aquele artista na história da música, mas sim o fato de usarem artifícios extra-música para chamarem a atenção do público.

  9. Marco Txuca

    Estive vendo vídeos com a esposa e uma amiga ontem à noite, e a amiga levantou a bola de um certo perfil consumidor japonês ser “meio tarado”. Essa coisa de ter mercado lá q inclui animes pornô, e de adorarem uma teen de sainha em filme, show, foto etc.

    Fiquei pensando: até nisso a mercadologia da coisa abrange. Marmanjos fãs de menininhas. Pedofilia light comportada. E, na comparação indevida da vez, fico pensando q pra esse tipo de japa, Babymetal deve ser o equivalente japonês de Rita Cadillac, Gretchen ou Carla Perez e as Sheilas do Tchan ahahah

    (alguém por aqui ainda lembra disso???)

    E tb acho mais estranho ainda q, passado já algum tempo, os EUA ñ tenham criado sua versão genérica, seu Evanescence da vez. Agora com a “era Trump” então, acho q vai é chover mais country universitário ainda.

Comente este texto

Importante: Os comentários são moderados e por isso o seu pode demorar a aparecer. Não é preciso reenviar seu texto.